Esqueci de acrescentar que ela usa óculos

Não lembro exatamente como surgiu, já nem estávamos juntos, vivíamos naquele momento a fase que se vive entre o terminar e o desvincular as rotinas de fato. Não sei explicar. Quebrar o primeiro bom dia, as reclamações, dúvidas e boas notícias, o ombro de tantos anos de confiança pode demorar certo tempo, então acabamos por … Continue lendo Esqueci de acrescentar que ela usa óculos

Anúncios

Não votem, se matem

Dia desses vim contar dum campinho onde vez ou outra penso na vida. Pense numa noite bonita. Me sentei como um príncipe. Pernas cruzadas, isqueiro na mão, fone na orelha. Fogo. No primeiro trago brota, essa é a palavra, brota uma viatura feliz e contente contornando o campo. Não deu tempo nem de assustar, esconder … Continue lendo Não votem, se matem

Pequeno tratado das doenças que queremos ter

Estou aqui num campinho perto de casa. Isso mesmo, estou. Não estava nem estarei. Estou. O campo fica grudado numa creche, e recentemente construíram uma pequena arquibancada, uns poucos degraus de cimento. E aqui estamos nós. Um tantinho ali pra esquerda ergueram também um pequeno quartinho. Não tem reboco ainda. Talvez seja um projeto de … Continue lendo Pequeno tratado das doenças que queremos ter

Breve como o tempo

Se Deus não dorme abraçado com Tom Jobim. Por favor, me dê só uma noite, Santo Pai. Uma noite. Num bar. Qualquer bar. Preciso dum trago só. Dois, se não for abuso, e olhá-lo de longe. Me bote ali, num banquinho ao lado do banheiro, perto daquele negócio onde os cavalheiros escarravam. E me traga … Continue lendo Breve como o tempo

As bocas falam

Numa cidadezinha pertinho de algum lugar, elegeram um prefeito que entre outras qualidades, todas comuns aos nossos representantes, homem honesto, de bem, temente a Deus, já estivera também envolvido em algumas denúncias, pequenos equívocos, como gostam de dizer, réu em todos, tais como corrupção passiva e ativa, envolvimento com organização criminosa, direcionamento de licitações e … Continue lendo As bocas falam

Histórias corriqueiras que a gente conta mas que no fundo são uma só

Nunca tive avô. De ambos os lados, pai e mãe, não fui neto. Não deu tempo. Meu irmão sim, teve avô até os cinco anos, mas quando nasci ele tinha seis. Do lado materno, o velho morreu tragicamente, amassado por um trator desgovernado enquanto fechava o portão da chácara em que trabalhava como vigia. Mamãe … Continue lendo Histórias corriqueiras que a gente conta mas que no fundo são uma só

Táubua de tiro ao Álvaro

noutro dia mandei uns versos e outras prosas ao poeta Álvaro Alves de Faria, aquele mesmo que vive só e conversa com passarinhos: um dos últimos poetas sobre meus originais disse ter lido todos, poemas crônicas um e outro conto perdido, e aquilo me deu uma raiva danada muitíssimo educado o poeta, disse ter gostado … Continue lendo Táubua de tiro ao Álvaro