Meu tio trotskista e [a galinha d]o partido

Meu tio foi o primeiro comunista da minha vida. Ou quase. Sendo o mais velho dos dois irmãos, se viu adulto antes mesmo das bicicletas e do spider-man. O pai morreu bem cedo, em diversos sentidos: jovem, quase de manhãzinha e com dois filhos miúdos. Morreu como quis: bêbado, na madrugada e depois da putaria. … Continue lendo Meu tio trotskista e [a galinha d]o partido

Anúncios

Em São Paulo Deus é uma nota de cem

Claro que aqui tem marginalidade, é o que acontece quando se arrasta pra debaixo do tapete a maioria de um país. Quer falar das biqueiras? A gente fala das biqueiras, meninos e meninas de quinze anos que se desdobram em vários olhos pois pior que a polícia, a fome também volta todo dia. Pior ainda … Continue lendo Em São Paulo Deus é uma nota de cem

Amizades, devaneios e ponto-final

Naqueles tempos a gente tinha o Baiano, um baixinho que gostava de todo mundo mas não queria trabalhar pra ninguém, aprendera com a vida de um tudo, desde consertar bicicletas até improvisar uma cirurgia. A amostra perfeita do brasileiro de Gilberto Freyre. Teve uma porrada de filhos mais inteligentes que ele e passou a vida … Continue lendo Amizades, devaneios e ponto-final

Meritocracia

Menino pobre, destino comum, onde o pai morreu bem cedo, a mãe trabalha o dia inteiro. Dois empregos. Sai de um vai pro outro. No bairro o que se tem varia entre sinuca, maconha e tiro. Nunca ganhou brinquedinhos que estimulam a concentração, livros pra aguçar a criatividade, noites inteiras no mundo da imaginação. Café … Continue lendo Meritocracia

Meninos, eu (não) vi 

Meninos, eu vi. Ninguém me contou, eu vi. Real como o azul do céu ou o colorido da primavera. De carne e osso como você e Jesus Cristo. Um político honesto. Pasmem! Um político verdadeiramente honesto. Mas honesto de verdade, não até certo ponto. Um que não confunde a constituição com a bíblia nem quer … Continue lendo Meninos, eu (não) vi