O zero e o [quase] nada

Nunca, desde que o mundo é mundo, se viu algo parecido, ao menos nada que tenha sido documentado, pois se tudo o que acontece tivesse suas devidas provas ou testemunhas, mesmo aquelas tratadas como loucas, difícil imaginar quanto perdemos de vista. Como num conto infantil, dizer que aquela porta transportava quem a abrisse ao futuro, … Continue lendo O zero e o [quase] nada

Anúncios

Meritocracia

Menino pobre, destino comum, onde o pai morreu bem cedo, a mãe trabalha o dia inteiro. Dois empregos. Sai de um vai pro outro. No bairro o que se tem varia entre sinuca, maconha e tiro. Nunca ganhou brinquedinhos que estimulam a concentração, livros pra aguçar a criatividade, noites inteiras no mundo da imaginação. Café … Continue lendo Meritocracia

O fim do dia

Pra quem não gosta de spoiler: no final todo mundo morre. Acontece comigo, acontece com você e não importa se é domingo de eleição, um feriado qualquer ou aniversário do Papa. A morte vem e a gente morre. Mas não vamos falar sobre a morte numa linha geral, o assunto aqui é específico. Entrei na … Continue lendo O fim do dia

É vitimismo

Encosta na parede aí rapidinho. Joga boné e mochila no chão. Não vira, porra, olha pra parede. acende um cigarro. Mãos na cabeça. Faz alguma coisa da vida? Cadê a droga? Se não tiver e eu achar, vai ser pior. Abre as pernas. DIREITO, PORRA, tá assado? soco no saco. Tira o sapato. Dá o … Continue lendo É vitimismo

A morte dos Rubens I

Quando a levei pela primeira vez à igreja, assim que entramos alguém veio ao nosso encontro, nos desejou boas-vindas e sorriu, e depois outro senhor, e mais uma moça, e assim numa frequência razoável os membros iam tocando os olhos em nós e fazendo sua parte perante Cristo. Fernanda claramente se abalou, embora pouco religiosa(quase … Continue lendo A morte dos Rubens I